Ir para conteúdo principal Ir para o bloco de navegação

Aeronaves sob custódia da Justiça serão removidas de aeroportos

O Conselho Nacional de Justiça, por meio da Corregedoria Nacional de Justiça, realizou o lançamento oficial do Programa Espaço Livre – projeto que tem como objetivo remover de aeroportos brasileiros as aeronaves que estão sob custódia da Justiça.

 

O programa terá início com a retirada dos aviões da viação Vasp, que teve falência decretada em 2008 e possui vinte e sete aviões da companhia distribuídos por aeroportos do país, sendo nove deles localizados no aeroporto de Congonhas, em São Paulo, onde o programa foi lançado na manhã desta quarta-feira (02).

 

O presidente do Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região, desembargador Nelson Nazar, esteve presente à solenidade de lançamento, na qual se pronunciaram o ministro da Defesa Nelson Jobim e a corregedora nacional de Justiça, ministra Eliana Calmon. “Com o lançamento desse programa, estamos colocando em prática a convicção de que a Justiça não pode funcionar isoladamente”, afirmou a ministra, ao frisar que o programa foi fruto da parceria entre CNJ, TJ-SP, Infraero, Anac, Ministério da Defesa e Conselho Nacional do Ministério Público.

 

Ocupando um espaço de 170 mil m2 (o equivalente a três campos de futebol), as aeronaves paradas em Congonhas não só se deterioram com o tempo, como têm alto custo de aluguel, pela estadia no pátio do aeroporto.

 

Além da Vasp, aeronaves da Transbrasil, Fly e Skymaster devem ser retiradas. A previsão é que até o mês de julho todos os aviões que estiverem vinculados às massas falidas sejam removidos, e que até agosto sejam retirados os aviões apreendidos em processos criminais. As aeronaves serão avaliadas pela Agência Nacional de Aviação Civil – Anac e, caso não tenham mais condições de voar, serão desmontadas para o aproveitamento de peças ou para venda a museus.

 

Com informações de: Agência CNJ de Notícias

 

Veja fotos da ocasião.